quinta-feira, 10 de março de 2011

Carnaval 2011 em Santarém foi 20% mais violento


Apesar das várias campanhas de conscientização, das orientações quanto ao consumo exagerado de bebidas alcoólicas e do esforço das autoridades para garantir um carnaval mais seguro, infelizmente as estatísticas apontam para um saldo negativo.

Este ano em Santarém, baseado em registros de ocorrências, o índice de violência no carnaval foi 20% mais alto que em 2010.

Nos três dias de programação carnavalesca o 4º GBM atendeu 42 ocorrências, com uma média de quase dez atendimentos diários. Foram 26 esfaqueamentos, acidente com escoriações e atendimentos por queda de pressão.

Somente na orla da cidade foram registradas 22 ocorrências de ferimento por arma branca com uma vítima fatal. Em Alter do Chão também foram atendidas quatro pessoas esfaqueadas. O trânsito fez mais duas vítimas fatais na Rodovia Everaldo Martins, que liga Santarém a Alter do Chão. Só não ocorreram problemas em decorrência do vandalismo, no domingo, por não haver eventos na cidade, e durante o “Carnavelhinho” na segunda.
Além das ocorrências motivadas por brigas e acidentes no trânsito, o 4º GBM realizou salvamento de vítimas de afogamento em Alter do Chão que tentavam a travessia a nado para a “ilha do amor”, não atentando para o perigo.
“O que ainda se percebe é que as pessoas tentam atravessar a nado e acabam se afogando porque a correnteza está muito forte nesse período” - enfatiza o Major Tavernard, Comandante do 4º GBM.

Ainda, segundo o Major, na orla da cidade, um cidadão, para se livrar da agressão de um marginal, pulou no rio Tapajós de uma altura de cerca de 5 metros. Ato ainda mais perigoso, por que apesar do rio está enchendo, em sua margem continua baixo. Os Bombeiros se equiparam, desceram no rapel e conseguiram resgatá-lo.
“Nós temos é que parabenizar o Corpo de Bombeiros em Santarém. Nosso efetivo é de apenas 118 militares, e mesmo com esse efetivo bem reduzido conseguimos cobrir todos os eventos. Nós utilizamos até o efetivo da 4ª SBM/Infraero, ou seja, utilizando o nosso efetivo e o da Infraero nós tivemos uma média de 100 militares trabalhando nesse evento e ajudando a salvar vidas” - declara o Comandante.

Relatório
Imprima esta Postagem

2009-2013 * 4º GBM-PA *Customizado por Marcelo Quemel * Melhor visualizado no Google Chrome e Firefox