quinta-feira, 31 de maio de 2012

Reunião aborda liberação de linhas de crédito às vítimas da enchente


Na tarde da última terça-feira, 29, membros das defesas civil dos municípios que compõem a região Oeste do estado estiveram reunidos com a Defesa Civil do estado e a Superintendência Regional do Banco da Amazônia no Pará para tratar sobre a liberação das linhas de créditos para as populações afetadas pelas cheias. A reunião aconteceu na sala de situação do 4º Grupamento de Bombeiros Militar (4º GBM) e contou com a presença do coordenador de Defesa Civil do estado e comandante geral do Corpo de Bombeiros do Pará, Coronel Hilberto Figueiredo, Coordenador adjunto de Defesa Civil, tenente coronel Almeida, coordenador da 4ª Regional de defesa Civil do Baixo Amazonas, Major Luis Cláudio e o superintendente regional do Banco da Amazônia, Marivaldo Melo.

A reunião tratou sobre a liberação da linha de crédito, no valor de 350 milhões, conforme anunciado pelo Ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra, durante visita ao município. Na reunião, o superintendente informou que o empréstimo será dividido em duas categorias e também terá valor de juros distintos. “O Governo Federal por meio do Ministério da Integração e o Banco da Amazônia está lançando essa linha de crédito, que é um crédito barato 3,5% para a área comercial e 1,5% para a área rural, principalmente para a agricultura familiar”.

O coordenador de Defesa Civil do Estado, coronel Hilberto Figueiredo explicou que o objetivo da reunião foi divulgar a liberação da linha de crédito que visa, entre outros fatores o restabelecimento e fomento da economia popular, por meio da agricultura familiar, comércio e indústria. “A idéia é esclarecer para os representantes das defesas civil municipal como irá funcionar o empréstimo junto ao Basa no sentido que eles orientem a população afetada e está venha a restabelecer a normalidade após a vazante dos rios”, disse o coordenador.

Segundo o superintendente do Banco da Amazônia, o empréstimo autorizado pelo Governo Federal beneficiará toda a população que foi atingida pela cheia dos rios. Ele falou que o momento é de esclarecimentos, e que a recuperação da economia depende do engajamento de todos. “Nós estamos reunidos para tratar sobre esse plano e fazer com que todos estejam envolvidos na ação de recuperação da economia dos municípios afetados pelas cheias dos rios”, enfatizou Marivaldo.

Marivaldo falou também que produtores rurais e comerciantes com débitos em aberto junto ao Banco da Amazônia também poderão requerer novos empréstimos, e a informação, trabalhada na reunião com a Defesa Civil também será levada à outros órgãos que atuam diretamente com os produtores, comerciantes e empreendedores. “Nós também vamos trabalhar junto a Emater, Sebrae e outros parceiros e vamos mobilizar toda a sociedade para que os produtores que já tenham débitos possam ter um prazo maior para renegociar as dívidas e assim obter um novo crédito para que este possa ter recursos que garantam a safra de 2012/2013”, explicou.

Além da liberação dos créditos com juros baixos a Defesa Civil do estado também entregou cestas básicas para a 4ª Regional de Defesa Civil do Baixo Amazonas (4ª Redec) distribuir entre os 10 municípios em pior situação. Óbidos, Alenquer, Curuá, Monte Alegre, Almeirim, Terra Santa, Porto de Moz, Santarém já foram reconhecidos como situação de emergência Oriximiná e Faro ainda aguardam o reconhecimento. “O Governo do estado já começou a liberar cesta básica e madeira e, estamos aguardando o repasse da União para que este venha fornecer mais cestas básicas, redes, medicamentos”, finalizou o coordenador da Defesa Civil do estado.

Ascom 4º GBM

Imprima esta Postagem

2009-2013 * 4º GBM-PA *Customizado por Marcelo Quemel * Melhor visualizado no Google Chrome e Firefox