quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

4º GBM orienta banhista sobre riscos na travessia a nado


DSC_0848Todos os anos o 4º Grupamento de Bombeiros Militar destaca para a vila balneária de Alter do Chão dezenas de militares para orientarem a população e resguardarem a vida dos banhistas que frequentam a praia de água doce mais bonita do país. Mas em momento de menor movimentação, ou mesmo em dias de grande fluxo de pessoas, é comum observar a travessia a nado da orla até a ilha do amor. Esta semana, em entrevista coletiva, o Tenente Contes explicou os riscos que a prática que aparenta ser inofensiva na realidade esconde, e falou sobre os atendimentos realizados pelos Bombeiros nos últimos anos no período do carnaval.

O Oficial falou que o risco de afogamento neste período do ano é maior devido à profundidade e de forte correnteza. “É importante que a população que frequenta Alter do Chão tenha a consciência de não fazer a travessia a nado uma vez que o rio está enchendo e a distância é muito longa e a correnteza naquele ponto é muito forte por existir ali um canal e a gente fala que água não tem cabelo, não tem onde segurar, se eu não tenho onde segurar ai entra o pânico e isso pode levar consequentemente a um afogamento e a morte”, explicou Contes.

Outra orientação feita está relacionada aos cuidados com crianças, e também ao consumo de bebida alcoólica que também gera um alto índice de ocorrência. “Você que tem filhos pequenos verifique a área onde seu filho ira tomar banho, sempre entre na água antes das crianças, você que faz o uso de bebida alcoólica tenha cuidado porque assim como álcool e direção não combinam álcool e água também não combinam então não tentem dar uma de herói e ir nadar após ter ingerido bebida alcoólica que você nunca sabe como seu corpo irá reagir”, falou o Tenente ao relacionar cãibras e maus súbitos que podem provocar afogamentos e mortes.

Carnaval

Em relação à Operação do Carnaval o militar anunciou a redução no número de ocorrências atendidas pelos bombeiros em Santarém e também Alter do Chão. “Em 2010 foram atendidas 32 ocorrências, isso ocorrências atendidas pelo Corpo de Bombeiros. Em 2011 foram 23 ocorrências, já em 2012 foi registrado 25 ocorrências e agora em 2013 tivemos uma redução para 11 ocorrências e a gente percebe que o trabalho de conscientização tem surtido efeito”, informou Contes após citar que a proibição de vasilhames de vidro e a mudança de local da realização do carnaval em Alter do Chão foram fatores que diminuíram as ocorrências.

O militar especificou ainda as ocorrências mais comuns atendidas pelos bombeiros durante o período do carnaval. “As ocorrências mais comuns são perfurações por arma branca, infelizmente algumas pessoas ainda vão a estes eventos com intuitos que não é se divertir,corte com garrafas, que são provocados acidentalmente e até provocados e o que também é muito comum nesta época o coma alcoólico que é um índice muito grande”, finalizou o oficial.

Martha Costa

Imprima esta Postagem

2009-2013 * 4º GBM-PA *Customizado por Marcelo Quemel * Melhor visualizado no Google Chrome e Firefox