terça-feira, 15 de dezembro de 2009

4ª REDEC ACOMPANHA AVALIAÇÃO DE FENÔMENO DE "TERRAS CAIDAS" NA COMUNIDADE DE ANINDUBA


No dia 14 de dezembro de 2009, a 4ª Regional de Defesa Civil do Baixo Amazonas, deslocou para a comunidade de Aninduba – Região do Arapixuna, município de Santarém um Técnico em Defesa Civil, o Cb BM AUGUSTO RILER DE AMORIM LOPES, juntamente com dois militares do 4º GBM, O 1º Sgt BM SAMUEL DUARTE LEMOS e o 2º Sgt BM CARLOS ALBERTO DA MATA BEZERRA, para acompanharem os membros da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil – COMDEC afim de verificarem e avaliarem previamente “in loco” do fenômeno natural de terras caídas que ocorreu na madrugada do último dia 13/12/2009 na referida comunidade, o deslocamento se fez com o apoio Operacional da lancha FLEX BOOT e demais materiais náuticos necessários pertencentes ao trem de socorro do 4º Grupamento de Bombeiros Militar – Santarém.

Inicialmente foi feita uma observação por dentro do rio e constatou-se previamente que o desmoronamento atingiu uma área de aproximadamente 800 metros, onde nessa área existia um trapiche de madeira com aproximadamente 80 (oitenta) metros linear, para ancoramento de pequenas embarcações que foi totalmente destruído e ainda uma escadaria em alvenaria, que medida pelos comunitários em degraus tinha exatamente 84 (oitenta e quatro) degraus que ligava o trapiche ao centro da comunidade, mas que foi parcialmente destruída com aproximadamente a metade dos degraus desabaram com o barranco, com isso os comunitários tem que andar muito para encontrar um local seguro para aportar e chegar na sua comunidade, assim como a equipe teve que aportar e caminhar cerca de 500 metros para chegar ao centro da vila. Além dos prejuízos comuns aos comunitários, alguns tiveram outros prejuízos individuais, onde foram destruídas 06 (seis) canoas, 12 (doze) malhadeiras e 02 (duas) tarrafas que foram levadas durante a ocorrência do fenômeno e ainda a vegetação que foi totalmente destruída e levada pelas águas durante o ocorrido.

Os levantamentos feitos pela equipe, mostrou ainda que após o fenômeno ter ocorrido a comunidade vai viver com a vulnerabilidade que a área atingida ficou, pois as proximidades existem algumas famílias residindo, que não sofreram em suas residências nenhum dano, mas com as chuvas do inverno que se aproxima e a subida das águas do rio Amazonas, essa vulnerabilidade poderá trazer maiores transtornos para esses comunitários, tendo em vista que antes do fenômeno as águas do rio não estava nesta época do ano próximo aos barrancos, mas hoje após a ocorrência observou-se que as águas ficaram próximas do barranco e com a passagem de embarcações de grande porte e a crescente das águas durante a enchente, poderá se agravar em muito este quadro.

Por fim a equipe se reuniu com o Coordenador da Comunidade o Sr. JAIR GUIMARÃES DE SOUSA e outros comunitários para alertá-los a cerca do risco que ficará presente na vida deles até que se encontre uma resolução para o problema que se instalou, principalmente no cuidado redobrado com as crianças para não se aproximarem dos barrancos que ficaram comprometidos.




Texto: Cb BM RILER – Técnico da 4ª REDEC – Santarém.

Fotos: ROSINALDO SIQUEIRA GARCIA – Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Santarém.
Imprima esta Postagem

2009-2013 * 4º GBM-PA *Customizado por Marcelo Quemel * Melhor visualizado no Google Chrome e Firefox