terça-feira, 23 de maio de 2017

9º Pelotão do Curso de Formação de Praças BM 2017, Polo Santarém, encerra disciplina de TMI com Prática de Operações Florestais


20170523-003 - CFP Final TMINo dia 18 de maio de 2017 (quinta-feira), o 9º Pelotão do Curso de Formação de Praças BM 2017, Polo Santarém, participou de um simulado de Operações de Combate a Incêndio Florestal, finalizando a disciplina de Técnica e Maneabilidade de Incêndios (TMI), onde colocaram em prática todos os conhecimentos adquiridos nas instruções teóricas.

A prática teve início às 9h30, onde os alunos embarcaram os materiais e equipamentos, seguindo até o ponto de partida do simulado de Deslocamento de Tropa em Operações Florestais.

20170523-032 - CFP Final TMI
20170523-004 - CFP Final TMI
No momento em que a viatura Autotransporte de Tropa (ATT-04) parou de ter acesso via estrada de chão, iniciou-se o deslocamento a pé com os materiais e equipamentos em vias não trafegáveis, com acidentes geográficos acentuados, até chegar em uma área nivelada, após 7 km de caminhada, onde foi feita abertura de aceiros e posterior combate dos alunos na queima controlada coordenada pelos instrutores.20170523-019 - CFP Final TMI
“Hoje a instrução teve por objetivo exercitar a tropa de alunos a percorrer, através de estradas ou não, grandes distâncias com os materiais e equipamentos florestais, utilizados em uma missão real. Serviu também para fortalecer o espírito de cooperação, de corpo, aprimorar a disciplina e elevar a moral desses jovens, tornando-os homens e mulheres mais vigorosos, resistentes e confiantes” - afirmou o Cabo BM Galúcio, instrutor da prática florestal.

Ao término das instruções pela floresta e após refeição, iniciou-se o regresso ao 4º GBM, onde além dos 7 km de retorno, continuou-se a caminhada, agora em área urbana por vias trafegáveis em terreno nivelado, sem acidentes geográficos, perfazendo um total 12 km, culminando com a liberação do curso às 01h20 do dia 19, após o dia de árduas missões sob sol intenso.
20170523-020 - CFP Final TMI
20170523-031 - CFP Final TMI
Para a Aluna CFP Raquel, o dia foi de superação: “Colocamos na prática tudo o que foi repassado nas instruções teóricas. Diferente do incêndio urbano, onde as viaturas são deslocadas até o sinistro, estabelecem as linhas e iniciam o combate, no incêndio florestal é totalmente diferente. A viatura com água não entra na floresta. Até onde o acesso permite o Autotransporte de Tropa segue. Após isso, é caminhar no meio da floresta, munido de todos os materiais e equipamentos florestais até chegar na área do incêndio. Até mesmo os materiais mais leves, após horas de caminhada, vão se tornando pesados devido ao cansaço físico. Mas o objetivo final foi alcançado, cumprimos com a missão. Parabéns aos meus companheiros de turma pela garra e determinação e também a equipe de instrução envolvida na organização de tudo”.Caracará

A instrução contou com todo o apoio de militares possuidores do Curso de Combate a Incêndio Florestal na Amazônia e Brigada Florestal, Socorristas, Unidade de Resgate e como de praxe, sendo acompanhada de perto pela Coordenação do Curso.

O 9º Pelotão do CFP BM 2017 está sendo realizado nas dependências do 4º GBM/Santarém, com previsão de término no mês de Setembro de 2017.

Álbum com todas as fotos  aqui!

Texto e Fotos: Coordenação CFP BM 2017 – Polo Santarém

quinta-feira, 4 de maio de 2017

CFP BM: 9º Pelotão do Polo Santarém realiza viagem ao 7º GBM/Itaituba


CFP 01No dia 30 de abril de 2017 (domingo), o 9º Pelotão do Curso de Formação de Praças BM 2017 (Polo Santarém), realizou uma viagem à cidade de Itaituba, onde encontra-se instalado o 7º GBM, UBM esta onde parte dos alunos ora em formação será lotada ao término do curso. O deslocamento foi realizado via fluvial, onde os alunos puderam visualizar as várias cidades existentes ao longo do percurso, tanto na ida quanto na volta (terça-feira, 02/05/17).
CFP 02CFP 03
Na chegada a cidade de Itaituba, os alunos foram recepcionados pelo 1º Ten QOBM Luiz, Subcomandante do 7º GBM, e foram alojados na UBM. Em seguida, participaram de uma palestra ministrada pelo referido Oficial, sobre o histórico e área de abrangência do 7º GBM, operações realizadas, dados estatísticos, etc., objetivando um conhecimento prévio dos alunos ora em formação. Após a palestra, iniciaram-se instruções práticas, através de oficinas de orientação e navegação, equipamentos motomecanizados, salvamento veicular (desencarceramento) e nós e amarrações, todas ministradas pelos militares do 7º GBM.
CFP 04
“Em virtude da maioria dos alunos do 9º Pelotão não conhecerem a cidade de Itaituba, o objetivo desta viagem foi proporcionar aos mesmos, conhecer a cidade, haja vista que parte deles após a formação será lotada no 7º GBM/Itaituba. Também serviu para que o efetivo do 7º GBM tivesse contato com o 9º Pelotão, através de instruções práticas extracurriculares do módulo em andamento. Agradecemos ao apoio dado pelos militares do 7º GBM, para que o objetivo da viagem fosse alcançado. Estão todos de parabéns”, afirmou o Maj QOBM JÚNIOR, Coordenação 9º Pelotão.
CFP 05

Para finalizar a viagem a cidade, o 9º Pelotão, como de praxe, participou do 1º Desafio do Trabalhador, uma corrida de rua realizada pelo Instituto Salomão Ribeiro em Itaituba, onde correram em tropa 7km de distância, vibrando durante todo o percurso com canções militares do início ao fim, enaltecendo ainda mais o nome do Pelotão Carcará na Região Oeste do Estado.
CFP 06
Para o Aluno CFP BM nº 17 ANDREI, que é natural da cidade de Itaituba, “viajar para a minha cidade natal como aluno do Corpo de Bombeiros, foi muito importante, pois, além de rever familiares e amigos, puder ter contato com o efetivo do 7º GBM e também ter conhecimento do histórico e das atividades que o mesmo realiza, bem como também pude participar de uma competição oficial em minha cidade, como militar do Corpo de Bombeiros, foi muito gratificante”.

O CFP BM 2017 - 9º Pelotão, está sendo realizado nas dependências do 4º GBM/Santarém, com previsão de término no mês de Setembro de 2017.CFP SantarémTexto e Fotos: 1º Ten QOBM Jerônimo Monteiro DA SILVA – Coord. CFP BM

segunda-feira, 24 de abril de 2017

9º Pelotão (Polo Santarém) do CFP BM participa de Simulado de Acidente Aeronáutico


CFP SantarémNo último sábado, 22 de abril, o 9º Pelotão do Curso de Formação de Praças BM 2017 (Polo Santarém), participou de um Simulado de Acidente Aeronáutico, realizado nas dependências do Aeroporto Internacional Wilson Fonseca, onde se encontra instalada a 4ª Seção Bombeiro Militar.CFP Santarém CFP Santarém
Como parte integrante da disciplina de Técnica e Maneabilidade de Incêndios (TMI), a instrução ministrada pelos Subtenentes BM Rebouças e Lavor teve por objetivo, além de aplicar os conhecimentos adquiridos nas instruções de TMI (operação com caminhões de combate a incêndio das viaturas da 4ª SBM, teto e para-choque, materiais operacionais, Equipamentos de Proteção Respiratória, dentre outros), também serviu para que os alunos pudessem colocar em prática o que foi ensinado até o momento no Curso, Telecomunicações Aplicadas e Atendimento Pré-Hospitalar, sendo que houve participação do efetivo de serviço da 4ª SBM e torre de controle do aeroporto, onde os alunos tiveram que abrir caminho na mata às proximidades da pista de pouso das aeronaves, com o objetivo de acessar o local da queda da aeronave, estabilizar e transportar as vítimas, bem como realizar a operação de combate ao sinistro.
CFP SantarémCFP Santarém
“Esta instrução na 4ª SBM/Infraero, foi de muita importância para nosso aprendizado, pois observamos que em uma operação de combate a incêndio em aeronave que cai na mata, tem suas peculiaridades que a diferenciam dos outros combates. Desde a comunicação do acidente aeronáutico pela torre de controle, o tempo resposta para se chegar no local, as vias de acesso, os agentes extintores que compõe as viaturas especiais, a dificuldade de se adentrar até o local do sinistro, dentre outros, são fatores que diferenciam este combate em um aeroporto de um combate em edificação, por exemplo. Agradecemos a equipe de instrução que com muita dedicação, nos repassou este conhecimento tão importante para nossa carreira” afirmou o AL CFP BM 06 JÚLIO CÉSAR.
CFP SantarémCFP Santarém
O CFP BM 2017 - 9º Pelotão, está sendo realizado nas dependências do 4º GBM/Santarém, com previsão de término no mês de setembro de 2017.CFP Santarém

Galeria de fotos

Texto e Fotos: Coordenação do CFP BM 2017 – 9º Pelotão (4º GBM/Santarém)

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Defesa Civil Nacional realiza capacitação de agentes municipais da região oeste do Pará


Defesa Civil Oeste do ParáComo parte da programação da Secretaria Nacional de Defesa Civil, ocorreu no período de 03 a 07 de abril em Santarém, oeste do Pará, no auditório do Ministério Público Estadual, a Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil, que no âmbito geral objetivou o fortalecimento do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil – SINPDEC, através da Formação de Formadores em todos os Estados e no Distrito Federal.

Entre instrutores, coordenadores e agentes representantes dos Municípios de compõem a Região Oeste do Pará, participaram do evento 41 pessoas. Dentre estes Alenquer, Almeirim, Belterra, Curuá, Juruti, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Prainha, Santarém e Terra Santa (de abrangência da 4ª REDEC, sediada no 4º GBM/Santarém), Itaituba, Jacareacanga, Novo Progresso, Rurópolis e Trairão (de abrangência da 5ª REDEC, sediada no 7º GBM/Itaituba).
DSC05270DSC05265
Em primeiro momento, a capacitação, que ocorreu paralelamente em Belém, Marabá e Altamira, visou preparar e qualificar os coordenadores e agentes de Defesa Civil recentemente nomeados em seus municípios, para atuarem em situações de risco, principalmente os decorrentes do período de chuvas e enchentes que atinge a região. A partir daí os agentes passaram a ter o conhecimento sobre a importância da Defesa Civil e como proceder nas ações de proteção através das coordenadorias das quais fazem parte.

A capacitação foi ministrada pelo Major BM Diógenes Madeira de Oliveira, da Secretaria Nacional de Defesa Civil, pelo Cabo BM Rogério da Cunha Brito, da Coordenadoria Estadual de Defesa do Pará e Supervisionada pelo Sr. Arão Lúcio de Carvalho, Assistente Técnico de Defesa Civil do Distrito Federal, com o apoio logístico da 4ª Regional de Defesa Civil (REDEC) sob a coordenação do Tenente-Coronel BM Luís Cláudio Rêgo dos Santos.

DSC05369DSC05333
Ao final houve uma pequena confraternização e o Major Diógenes, que é oriundo do Estado do Tocantins e nunca tinha vindo à região, foi só elogios ao evento, à coordenação e à interatividade dos participantes: “Realmente fiquei muito impressionado não só com a beleza da região, mas com a participação, o interesse em obter o conhecimento dos assuntos que foram abordados e a forma carinhosa como fomos recebidos por todos. E posso dizer que este curso está entre os melhores dos quais pude participar. ”

DSC05395Álbum de fotos do evento

Texto e fotos: Sgt BM Quemel/5ª Seção do 4º GBM

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Homem soterrado em poço no Pará diz que nasceu de novo


dsc_0016“Renasci aos 50 anos”. A frase traduz a alegria de Raimundo Lima, de 50 anos, após voltar para os braços da família depois de quase perder a vida soterrado dentro de um poço de 18 metros de profundidade. O acidente ocorreu no município de Mojuí dos Campos, no dia 2 de dezembro. Lima  entrou em um poço para fazer manutenção e após um deslizamento de terra nas laterais, ficou soterrado por aproximadamente 12h. Na manhã desta segunda-feira (5), ele recebeu a visita da médica e dos militares que participaram do resgate e aproveitou para agradecer aos heróis daquela operação.

dsc_0008Ao lado da esposa e dos filhos, Raimundo relembra os momentos de dificuldade que passou no poço. Ele relata que ao fazer a manutenção percebeu que uma tábua obstruía o local. Foi então, que decidiu fazer a remoção manual do objeto e durante a ação, uma das paredes cedeu e o deixou soterrado completamente. “Quando a terra me cobriu todo eu pensei que não teria mais jeito e que iria morrer. Mas, me mantive em paz, na presença de Deus e foi o que me deu forças. O homem faz o que pode e Deus trabalha no impossível. Acredito que tanto a equipe quanto Deus me ajudaram e por isso eu estou aqui”, ressalta

Aflição da família
Rapidamente a notícia se espalhou pela comunidade que não mediu esforços para ajudar. Enquanto aguardavam notícias e o socorro, familiares aflitos chegaram a duvidar que o episódio tivesse um final feliz. Liduína Oliveira, esposa de Raimundo, em meio as lágrimas tenta expressar o alívio de ver o marido salvo. “Foram horas de sofrimento sem saber o que seria dele. Meu irmão foi até o local e veio me dizer que ele estava na cacimba só com o nariz de fora e aí, passou pela minha cabeça que iria morrer pelo tempo que ele ficou lá. Quando eu vi ele de novo, meu coração ficou muito alegre”, diz a esposa emocionada.dsc_0013
Resgate de alto risco
Sobre o trabalho da equipe, Raimundo ressalta a eterna gratidão a quem trabalhou incansavelmente para que ele renascesse aos 50 anos. “Agradeço muito a equipe que fez o resgate foram pessoas que me fizeram nascer de novo. Pessoas que trabalharam corretamente e quando eles me puxaram, eu senti a maior alegria da minha vida, pois eu sabia que estava livre. Sei que quando acontece algo assim e eles conseguem tirar alguém com vida é mais uma vitória para eles. A partir de agora, vou ter duas datas para comemorar. O nascimento mesmo e o dia do resgate. É muito bom nascer de novo aos 50 anos e poder daqui para frente contar essa história”.

Apesar de ter sido montada uma estrutura para evitar novos desmoronamentos e garantir a ventilação do espaço devido a existência de gases, havia muita dificuldade para retirar areia do local. Era uma ocorrência com elevado grau de risco e envolveu 22 militares. “O que a gente observou, ele estava bem psicologicamente e o fato de não estar apavorado ajudou bastante. O vigor físico dele, uma pessoa de 50 anos que está bem de saúde também contribuiu, além de que a nossa equipe fez questão de transparecer a ele em cada momento que tudo estava sendo feito da melhor forma possível para que ele fosse resgatado”, relata o tenente coronel Luís Cláudio Rêgo, comandante do Corpo de Bombeiros.
   
Segundo Luís Cláudio, há 20 anos uma mesma ocorrência envolvendo resgate em um poço não teve tanto sucesso. O fato marcou a guarnição e o comandante, por isso, retirar seu Raimundo com vida passou a ser uma questão de honra. “A preocupação de toda instituição era de que não ocorresse a mesma situação que ocorreu há mais de 20 anos. Naquela ocasião, infelizmente não obtivemos sucesso em resgatar esta pessoa com vida. Diante da nossa experiência, desenvolvemos toda uma estrutura para viabilizar esta operação que era de alto risco, uma vez que a qualquer momento poderia cair material não só em cima do seu Raimundo como também nos militares, que tiravam areia balde por balde do local. Aos poucos conseguimos livrar sua parte superior, os membros e até sua retirada com vida".

A médica Ilmara Sousa, também esteve no local com uma equipe de socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Ela relata os momentos em que esteve com a vítima e o trabalho para mantê-lo consciente. “Em uma das descidas, uma das pedras acabou rolando em direção ao rosto dele. Neste momento ele me pediu que eu não o deixasse morrer. Foi quando coloquei o pé e acabei me machucando. Se ela pegasse no rosto dele, com certeza, aconteceria o pior. Durante todo tempo ele se manteve sereno e dizia que estava respirando e bem, relatando dores no pé esquerdo. Em vários momentos achamos que iríamos perdê-lo, mas Deus nos deu força e sabedoria para cada um poder ajudar ele a conseguir esta vitória”, afirma.dsc_0004Recomeço
Apesar do susto e contrariando a esposa, ele afirma não ter a intenção de abandonar a profissão. Mas, garante que deve atuar com mais cautela, observando com mais rigidez as exigências de segurança. "Eu tenho que superar o medo e voltar. Agora, eu preciso analisar bem o risco para não ocorrer mais isso. Minha família depende de mim e não tenho outra profissão. É arriscado, mas a gente tem que continuar".

Nesta segunda chance que ganhou, Raimundo fez a promessa de não medir esforços para realizar o sonho do filho mais novo, Messias, de apenas 5 anos, que pretende ser bombeiro e assim, quem sabe, salvar outras vidas. “Minha missão agora é fazer meu filho crescer e estudar para quem sabe um dia entrar pro Corpo de Bombeiros. Espero que ele seja da nova geração daqueles que salvam vidas”, conclui Raimundo.

G1 – Santarém

2009-2013 * 4º GBM-PA *Customizado por Marcelo Quemel * Melhor visualizado no Google Chrome e Firefox